Tombo dos fundos multimercados e ações

A inflação pressionada e alta contínua da Selic contribui com o tombo dos fundos multimercados e ações, pois ocorre uma certa migração para renda fixa.

Com este cenário, os multimercados e ações são as vítimas preferenciais da indústria de fundos neste ano. 

Neste primeiro semestre, os fundos multimercados tiveram resgates de R$ 61,8 bilhões e as carteiras de ações registraram saídas de R$ 49,5 bilhões no período.

Em contrapartida, os fundos de renda fixa acolheram R$ 88,8 bilhões de dinheiro novo.

Contudo, as três categorias mais populares da indústria de fundos no Brasil são: renda fixa, multimercados e ações.

No entanto, fecharam o primeiro semestre, respectivamente, com patrimônio de: R$2,8 trilhões, R$ 1,57 trilhão e R$ 468,14 bilhões.

Dessa maneira, a evolução da taxa básica de juros explica a migração dos investidores para a renda fixa.

Ademais, a taxa Selic oscilou bastante nos últimos tempos…

Em junho de 2021 ela estava em 4,16% a.a, já em junho deste ano passou a alcançar 13,25% a.a.

Vale adicionar que o patamar atual deve ser ultrapassado por mais um aumento, o que deve ser anunciado pelo Copom no início de agosto.

Além disso, no mercado futuro de juros, ainda há indicação de que a taxa básica de juros pode chegar até 14,5% ao ano.

No entanto, com esse cenário de juros acachapante os gestores tendem a partir para um perfil mais conservador.

Segundo informações da ANBIMA sobre patrimônio líquido dos fundos de investimento por ativos, é demonstrado a escolha dos gestores em manter recursos lastreados em dívida pública.

Ademais, último dado fornecido pela ANBIMA, R$ 3,85 trilhões do patrimônio dos fundos de investimento estavam aplicados em títulos federais e operações compromissadas.

Esta informação nos leva a assegurar a rolagem da dívida pública em mercado.

Portanto, em relação às taxas de rentabilidade acumuladas no primeiro semestre deste ano, 14 dos 16 tipos de classe de renda fixa registraram resultado positivo.

Neste caso, o investimento em crédito privado mostrou ter uma das maiores rentabilidades.

Resultando em uma rentabilidade de carteira de 18,5% a.a.

Em contrapartida, os fundos multimercados renderam em grande parte negativamente, 10 dos 12 tipos de classes de ações tiveram rentabilidade negativa.

Migração para renda fixa

Com o tombo das ações e dos fundos multimercados, a migração para renda fixa é cada vez mais constante.

Sendo assim, o mês de junho na bolsa de valores brasileira (B3) foi marcado por uma queda ainda maior.

O índice Ibovespa, caiu 11,5%, o maior tombo desde o início da pandemia.

Em contraponto, a taxa Selic teve o seu aumento para 13,25% a.a.

A partir disso, a migração dos investidores, especialmente os mais ricos, para renda fixa continua acontecendo…

Investimento em crédito privado

Dessa maneira, o investimento em crédito privado se torna um dos mais atraentes aos olhos dos investidores.

Pelo fato de ser mais rentável que renda fixa, e mais seguro que renda variável.

Por meio da conexão entre empresas e investidores, a Ulend proporciona ao investidor uma maneira de investir na dívida da empresa e receber alto retorno em troca disso.

Ainda assim com maior liquidez, com recebimento de pagamentos mensais dos seus investimentos.

Além de tudo, segurança e baixo risco!

Pois, para as empresas conseguirem ter o seu crédito aprovado ela precisa passar por uma minuciosa análise de crédito.

Vale ressaltar que na Ulend o investidor pode investir em empresas sólidas e saudáveis, e ter retorno de até 3X maior do que em investimentos tradicionais.

Para investir basta se cadastrar na plataforma Ulend, e escolher a empresa para render o seu dinheiro de uma forma saudável!