Risco Sacado

O Risco Sacado é um processo muito importante e comum no mercado financeiro.

Todavia, é uma maneira de antecipar recebíveis pela modalidade de cessão de crédito.

Ou seja, os fornecedores podem antecipar os valores das contas que têm a receber das transações comerciais com os seus clientes.

Neste caso, a responsabilidade de pagamento é do “Sacado”, da pessoa que prometeu o pagamento.

Vale adicionar que para uma análise de crédito, é de suma importância checar o histórico de pagamento do sacado.

O que é Risco Sacado?

Bom, como o nome já diz é o risco do sacado (pagador) realmente efetuar o seu pagamento.

Como exemplo, o sacado pode fazer um cheque de 30 dias e no final do prazo não ter o dinheiro para realizar o pagamento.

Desse modo, o cheque já pode ter sido transacionado entre outros fornecedores.

Neste caso o cheque se encontra na modalidade do risco sacado.

Em outras palavras, é o mesmo que antecipação a fornecedores, pois o fornecedor vai ter as notas disponíveis para antecipar.

Porém, neste caso não há o risco de crédito e sim do sacado.

Dessa maneira, os principais responsáveis pela antecipação dos recebíveis podem ser os bancos, FIDCs, fintechs ou até mesmo os investidores pessoas físicas quando qualificados.

Entretanto, o agente financeiro é responsável por antecipar o valor do recebível com deságio ao fornecedor na data combinada.

A partir disso, o agente financeiro retém o título aguardando o pagamento na data de vencimento do título, podendo receber o valor integral do comprador.

Com isso, na operação o fornecedor se vale da reputação e credibilidade de seu cliente (sacado/pagador) para definir as taxas aplicadas na antecipação.

Vale adicionar, que quanto maior a confiança no sacado, melhores serão as taxas de deságio.

Este processo também leva outros nomes no mercado, como: confirming, forfait e desconto de títulos.

Como funciona o processo de Risco Sacado?

O processo do risco sacado funciona de diferentes maneiras dependendo da lógica da operação de cada instituição.

No entanto, na Ulend o risco sacado é baseado na garantia que a empresa concede ao investidor.

Entretanto, o rating da empresa incorpora a avaliação do sacado (pagador) feita pela análise de crédito da Ulend.

Com isso, o risco pode se dividir em dois segmentos: o risco direto e indireto.

O risco direto é quando se trata da garantia de duplicatas, o valor que o sacado deve receber no final do mês.

Porém, são aplicadas algumas taxas de desconto dependendo da data do dia que for analisado o valor a receber.

Vale adicionar, que para conseguir ter a garantia de duplicata a análise de crédito deve analisar se o sacado possui bom histórico de pagamentos, realmente indicando a viabilidade da liquidação.

Em contrapartida,  existe também o risco indireto que está relacionado à outros tipos de garantias oferecidas aos investidores,  como de bens móveis ou imóveis.

Mas, essa modalidade também passa por uma criteriosa avaliação de crédito para avaliar o cenário financeiro do sacado.

Por que fazer a antecipação?

Contudo, a antecipação tem o motivo de ser realizada.

Porque é uma maneira de ter acesso a crédito sem precisar recorrer a empréstimos em instituições tradicionais que possuem taxas altíssimas.

Neste cenário, o dinheiro já pertence ao fornecedor que encontra um investidor para permitir que ele tenha acesso ao crédito.

Mais uma vez, de uma forma menos burocrática e ágil.

No entanto, mesmo com um certo risco a antecipação é vantajosa tanto para o sacado quanto para o fornecedor ou investidor.

O qual vai receber uma rentabilidade melhor.

Na Ulend a empresa consegue solicitar crédito com taxas a partir de 0,99% a.m.!

E o investidor tem uma rentabilidade média de 22% a.a.