Tesouro direto: ele ainda vale a pena?

Tesouro direto: ele ainda vale a pena?

Tesouro direto

O tesouro direto foi criado pelo governo para compartilhar com os cidadãos brasileiros a negociação de títulos públicos federais. Funciona como um empréstimo para o governo federal financiar seus gastos, como saúde, educação, saneamento básico, infraestrutura etc. Esse investimento possui um risco muito baixo, pois o devedor é o próprio Estado. 

O tesouro direto é um investimento de renda fixa, que pode ser prefixado, pós-fixado ou híbrido e existem 3 modalidades.

Mas quais são essas modalidade?

  1. Tesouro Prefixado: possui uma taxa fixa de rentabilidade, já sabida no momento da compra do título. Se for, por exemplo, 5% ao ano, você receberá 5% do investimento anualmente, até o vencimento. É vantajoso se os juros da economia caírem durante o período em que receberá os rendimentos;
  2. Tesouro atrelado à inflação: este possui uma rentabilidade híbrida, ou seja, uma parte é prefixada e outra pós. Por exemplo, com um rendimento de 2% + IPCA (Índice de Preços do Consumidor Amplo), você sabe que o rendimento será fixo de 2%, porém, o IPCA sofre variação ao longo do tempo.
  3. Tesouro Selic: este título possui rentabilidade indexada à taxa básica de juros (Selic). Atualmente, a Selic está em 2,25% ao ano, o menor nível desde sua existência. Entretanto, este título não leva em consideração a inflação. Isso significa que você não fica protegido do aumento dos preços ao longo do tempo (como o Tesouro atrelado à inflação), apesar de haver uma lógica diretamente proporcional entre inflação e taxa Selic, ou seja, se a taxa básica de juros cai, a tendência da inflação é cair também.

Todos os investimentos seguem a seguinte regra: quanto menor o risco, menor a rentabilidade, e vice-versa. Com a taxa Selic baixa, o Tesouro Direto se tornou menos rentável do que era antes, porém, ainda vantajoso para os investidores com perfil conservador.

Caso tenha alguma dúvida é só comentar ou entrar em contato.

Laís Pizzingrilli e Mariana Carandina

Deixe uma resposta

Facebook
LinkedIn
Instagram