Pós-crise: como as empresas podem se preparar para esse momento?

Pós-crise: como as empresas podem se preparar para esse momento?

Pós-crise

A pandemia do novo coronavírus trouxe consigo uma crise na saúde e na economia. Ainda sem previsão de o problema chegar ao fim, as empresas que foram bastante afetadas estão pensando em como podem se preparar, sobreviver e se reerguer na pós-crise. Confira mais informações aqui.

O impacto da crise na economia

De acordo com um levantamento do Sebrae, 9 milhões de empregos deverão ser extintos pelo fato de 600 mil PMEs encerrarem as atividades por conta do impacto da crise na economia.

Apesar de muitos terem esperança de que a situação poderia se reverter, o efeito já era esperado, visto que 45% das PMEs do país terem apenas recursos para sobreviver ao primeiro mês da quarentena.

Tendo em vista que ainda mal se chegou ao pico de infectados com o novo coronavírus — antes, era esperado que o pico fosse de abril a maio, mas agora mudou para maio-junho —, naturalmente, as empresas passarão por diversos apertos nos próximos meses.

Como essas empresas podem se preparar para o pós-crise?

O que se tem percebido na crise é que as empresas que ainda podem trabalhar oferecem os seus serviços também digitalmente. Os que trabalham com comida contam com aplicativos de entrega, por exemplo.

Isso significa que a questão digital vai ser ainda mais forte a partir da pós-crise, vai ser praticamente um pré-requisito para uma empresa ter chances de concorrer com as outras.

Isso não significa que o e-mail e o telefone se tornarão obsoletos, mas sim que outros meios de comunicação deverão ser mais facilmente encontrados nos sites das empresas. Um grande exemplo é o botão do WhatsApp, mas ainda outras redes sociais já existem não só como rede de bate-papo, mas também como comunicação nos negócios.

O meio digital já vem trazendo bastante concorrência entre as empresas, e aquelas que não fazem uso dessas plataformas podem ter percebido como é mais difícil competir. Sobretudo quando se é uma empresa jovem que ainda não tem uma quantidade muito boa de clientes fixos.

A dica para o momento é tentar segurar as pontas na questão financeira e, com isso, resistir até a volta das atividades. Mas, neste momento, já é preciso pensar junto com os colaboradores de que formas a empresa pode sobreviver, quais recursos podem ser usados para isso.

Vale a pena, é claro, dar uma olhada nos sites concorrentes para garantir o que eles estão oferecendo que você ainda não tem, e com isso expandir o seu leque de opções desde já.

Afinal de contas, apesar de alguns serviços essenciais não estarem em pleno funcionamento, como os Correios, as vendas continuam a acontecer. Apesar de muitos consultórios médicos estarem fechados, surgiu, que segue a legislação brasileira, a telemedicina, a fim de evitar mais pessoas nas ruas e, com isso, um maior contágio.

As opções, portanto, existem e devem ser utilizadas para que as empresas que estão em situação de vulnerabilidade possam, depois do impacto da pandemia da COVID-19, voltar de uma forma ainda mais completa.

Contamos com uma plataforma que une pessoas que querem emprestar a pessoas que precisam de empréstimos. Cadastre-se no site você também e veja como é fácil. Caso tenha alguma dúvida, é só comentar aqui embaixo.

Laís Pizzingrilli

Deixe uma resposta

Facebook
LinkedIn
Instagram