Não cometa esses erros em sua carteira de investimentos!

Não cometa esses erros em sua carteira de investimentos!

Erros na carteira de investimentos

Investidores devem estar atentos não apenas ao que sabem, mas também ao que não sabem. Por isso, é essencial conhecer as falhas e erros mais comuns entre investidores. Afinal, significam perda de dinheiro. Sendo assim, é importante saber quais são seus erros na carteira de investimentos. Vamos lá?

Ao conhecê-las, portanto, você poupará potenciais perdas. Então, confira:

1. Não ter um plano

Plano é o primeiro passo para investir de maneira efetiva. Ele irá indicar três aspectos básicos de uma carteira de investimentos:

  • Objetivo;
  • Perfil de investidor;
  • Tempo de duração ou de resgate.

Ao definir esses três pontos, você sabe exatamente o que fazer e em quais ativos irá investir para chegar ao seu objetivo.

2. Não ter reserva

Se o planejamento é o primeiro passo, a reserva é certamente o segundo. É o famoso “dinheiro no colchão” que, evidentemente, não deverá estar na sua cama, mas rendendo mais dividendos.

Você pode escolher o Tesouro Selic ou outro investimento qualquer. É importante apenas que você tenha liquidez imediata para resgatar quando precisar.

Além disso, é fundamental que seja de baixo risco e que corresponda ao total necessário para lhe sustentar por alguns meses.

3. Não conhecer o investimento

Não importa se você irá investir em ações, títulos ou em fundos, é fundamental conhecer a área onde você está entrando.

Se irá negociar diretamente na Bolsa de Valores, é preciso ter um conhecimento da empresa em que aplicará o dinheiro. Caso você faça a lição de casa, não vai precisar culpar o mercado ou uma crise qualquer.

Isso vale para fundos, pois é importante conhecer a história da empresa, o perfil do gestor e sua carteira.

4. Diversificação errada

A diversificação é fundamental, por isso, não a utilizar já é um erro grave. Acontece que a diversificação não pode ser feita de qualquer jeito.

Por exemplo, quando se diversifica investindo em ativos de bancos diferentes, mas com a mesma característica. Não adianta comprar 10 títulos diferentes, se todos são de renda fixa e que rendem de maneira idêntica. Ou aplicar em diversas ações de empresas do mesmo setor. Diversificação é variação, seja de:

  • Ativo;
  • Resgate;
  • Fluidez;
  • Risco;
  • Etc.

5. Confiar demais em fatos anteriores

Eis um grande erro pouco comentado. Fatos anteriores são péssimos orientadores para tomadas de decisão. Não é porque a Ibovespa ultrapassou 100 pontos em plena crise do novo coronavírus que irá se comportar assim sempre que houver crises.

Fatos pontuais como esse devem ser entendidos como fenômenos do momento, ligados a diversos outros fatores. Melhor do que confiar em fatos recentes é olhar para a história da Bolsa de Valores.

6. Correr riscos sem prudência

Quando falamos de investimentos, principalmente relacionados ao mercado financeiro, sabemos que riscos são necessários. Do contrário, ficaríamos com a poupança, pois é muito mais seguro, certo? Mas se são fundamentais, isso não significa que devemos abandonar a prudência. Pelo contrário, ela é a melhor amiga do risco.

É fundamental saber onde estamos indo e aceitarmos o risco sem exagerar. Para isso, mantenha um equilíbrio entre risco e retorno. Isto é, só invista naquilo que oferece um retorno com o menor risco.

Cadastre-se em nosso site para ficar por dentro das novidades do mercado! Caso ainda tenha alguma dúvida sobre os erros na carteira de investimentos, é só comentar aqui embaixo.

Laís Pizzingrilli

Deixe uma resposta

Facebook
LinkedIn
Instagram