O empréstimo pode ser considerado um investimento?

O empréstimo pode ser considerado um investimento?

Empréstimo como investimento

Cada vez mais o brasileiro está percebendo a importância de investir. O investimento pode ser um excelente caminho, seja para garantir a aposentadoria e ter uma vida mais tranquila no futuro, ou para juntar dinheiro e conseguir alcançar um objetivo com mais facilidade. Mas, você sabia que um empréstimo pode ser considerado um investimento?

O empréstimo como investimento

O que é um investimento? Da maneira mais simples possível, é qualquer ação em que você aplica uma quantidade de recurso para receber um retorno financeiro no futuro.

Existem diversas modalidades de investimento. Não apenas a poupança, que é a mais conhecida e provavelmente a menos eficiente, mas elas vão até as ações, que são as mais complexas. Porém, o empréstimo pode ser um investimento muito positivo. Nele, você empresta uma quantidade de dinheiro para receber o retorno, mais os juros, no futuro.

É uma opção tão boa, que é por isso que bancos fazem. Bancos emprestam dinheiro para receber o retorno depois desde a sua criação, há centenas de anos. Nesse sentido, até pouco tempo, os empréstimos eram exclusivos das instituições financeiras. Isso simplesmente pela capacidade que elas têm de entregar o capital que as empresas precisavam.

Contudo, atualmente, existem sistemas e soluções que resolvem esse problema para você, pessoa física, poder emprestar dinheiro e se tornar investidor.

Um bom negócio para ambos

Um bom exemplo é um sistema de empréstimo P2P, ou seja, peer-to-peer lending ou de ponta a ponta. Neste modelo, existe uma plataforma em que as empresas “anunciam” que precisam de um empréstimo por determinado motivo. Esses motivos podem ser: a execução de um projeto ou a necessidade de recurso para lidar com um pedido muito grande, por exemplo.

Na plataforma, os investidores decidem quando querem emprestar e para qual empresa. Como são muitos investidores, o capital é alcançado com certa facilidade e o retorno é feito por meio dos juros. Ou seja, esse conjunto de investidores fez o papel do banco. O melhor é que esse processo é vantajoso para ambos.

Para as empresas, o empréstimo é finalizado mais rapidamente. Isto é, existe uma grande diminuição na burocracia, que, com os bancos, é enorme. Isso deixa o processo muito lento, além de ser bem trabalhoso.

Além disso, pegar empréstimo com as pessoas físicas por meio deste sistema resulta em juros muito menores do que com os bancos.

Parando bem para pensar, o empréstimo é um investimento para a própria empresa. Ninguém toma um empréstimo sem motivo, portanto, a empresa está investindo no seu futuro, seja em curto ou longo prazo.

Nos exemplos acima, se a empresa toma um empréstimo para cobrir um pedido grande e inesperado, o retorno é no curto prazo. Se o empréstimo é para a expansão do negócio ou para um projeto, o retorno é no longo prazo.

E quais são os resultados?

Escolher uma opção com menos burocracia e com a taxa de juros menor, é aumentar a margem de lucro, pois se paga menos e o dinheiro é liberado mais rápido.

Para a pessoa física, o empréstimo é um ótimo investimento. O motivo é bem óbvio e simples. Os juros recebidos são maiores que nos bancos, trazendo uma oportunidade de investimento que, até então, estava fora do alcance.

Quer conhecer mais sobre como funciona o empréstimo como investimento? Entre em contato com a gente.

Laís Pizzingrilli

Deixe uma resposta

Facebook
LinkedIn
Instagram