Boas práticas para auxiliar pequenos e médios empreendedores em tempos de crise

Boas práticas para auxiliar pequenos e médios empreendedores em tempos de crise

Boas práticas durante a crise

Em meio a crise do Coronavírus, pequenos e médios empreendedores têm se deparado com uma série de dificuldades que vem impactando diretamente o fluxo de seus negócios. Os obstáculos vão desde os grandes problemas, como o cenário da macroeconomia, até questões do dia dia, como gestão do time, receita e processos à distância. Em um cenário como esse, a tomada de decisões rápidas e assertivas, juntamente com as boas práticas que devem ser tomadas durante a crise, são fundamentais para que as operações sigam seu fluxo.

Nós da Ulend entendemos essas dificuldades e estamos aqui para ajudar. Por isso, listamos algumas ideias que podem ajudar os empreendedores a se organizar nesse momento de crise. E lembre-se: nenhuma crise dura para sempre. O cenário vai melhorar.

1. Estabeleça  uma comunicação assertiva 

Com o atual cenário, é importante transmitir com clareza e sensibilidade as informações de sua empresa, tanto para o público interno como para o externo. Tenha em mente que seus colaboradores, parceiros e clientes também estão sendo afetados e estão preocupados com o rumo das coisas. Por isso, é imprescindível que toda a comunicação seja realizada de forma a colaborar para a manutenção da  estabilidade e da normalidade. Mantenha a calma e seja sensível e transparente.

2. Cuide de seus colaboradores

Se por um lado o custo financeiro de um time é um problema complexo neste momento, por outro, são esses colaboradores que podem lhe oferecer alternativas de negócio que podem amortizar a crise. Por isso, procure viabilizar um clima ameno e os convide a buscar soluções. Acredite: boas sacadas podem sair dessa crise e levar a sua empresa a avançar mesmo durante  esse período ou quando ele passar.

Além disso, vale uma atenção especial para gestão em home office: ao mesmo tempo que é preciso ter cuidado para que o time não perca o foco, é determinante não exigir demais, inclusive abordando com mensagens fora do horário comercial. Lidere-os para que trabalhem no horário programado e incentive relações interpessoais na equipe. A confiança mútua é essencial.

3. Foque em soluções via internet, telefone e delivery

Estamos vivendo um período de quarentena, mas lembre-se: isolamento social não significa desconexão com seu cliente. Busque encontrar meios e maneiras e estar por perto, o escute e o atenda da melhor forma possível por meio da internet e do telefone. Se por acaso seu negócio permite, organize-se para fazer entregas e assim manter o mínimo de fluxo de suas operações.

 4. Cuidado ao falar sobre o Coronavírus

Muitas empresas estão se posicionado sobre o coronavírus, seja para opinar, seja para colaborar de alguma maneira. É importante ter muita cautela, pois o fato é que a crise do Covid-19 é a maior já registrada no planeta desde a segunda guerra mundial e, até o momento, a ciência sabe muito pouco sobre isso. Qualquer informação adicional ainda é mera especulação. Envolver a marca em qualquer polêmica acerca  desse assunto é um erro. Além disso, é importante ter sensibilidade na hora de se posicionar, até mesmo para oferecer ajuda: se você pode colaborar diretamente para amortizar aqueles que estão sofrendo algum tipo de dano, faça isso e sim, dê visibilidade às suas ações, até para tornar sua ajuda acessível. Agora se você não pode colaborar com a solução, o melhor a fazer é esperar um momento para colaborar.

5. Avalie seus gastos e lucros 

É hora de fazer um balanço dos gastos mensais da empresa. Deve-se colocar na ponta do lápis os 

gastos fixos e variáveis. Avalie seus custos de dívidas e, se necessário, renegocie. Mas além de buscar uma flexibilização dos seus parceiros, flexibilize você também: encontre meios e maneiras de colaborar para a solução. Se puder, facilite a prestação de serviços, realize  

Procure projetar diferentes cenários para a duração da crise do coronavírus, dessa forma, poderá estar um passo à frente do problema, seja renegociando os gastos fixos de seu negócio ou congelar gastos variáveis.

Caso tenha alguma dúvida, é só comentar aqui embaixo.

Laís Pizzingrilli

Deixe uma resposta

Facebook
LinkedIn
Instagram